02/05/2019

500 anos de Leonardo da Vinci

No dia 02 de maio de 2019 o mundo comemora a genialidade de Leonardo da Vinci (1452-1519) em combinar arte, ciência, tecnologia e humanidade. Contemporâneo de dois outros gênios (Michelangelo 1475-1564) e Rafael (1483-1520), Leonardo da Vinci, que nasceu séculos antes da formação do Estado Italiano, era filho “ilegítimo”, ateu e sem estudos formais, com um perfil para a época, de desajustado social, e segundo alguns historiadores, não escondia a sua homossexualidade, que Michelangelo tratava com reservas. Leonardo da Vinci sempre esteve a frente do seu tempo, tanto no que se refere a arte, ciência, tecnologia, humanidade e transparência na sua orientação sexual.

A recente decisão proferida pela Ministra do Supremo Tribunal Federal, Carmem Lúcia, nos fez lembrar de Leonardo da Vinci, haja vista ter adotado sua orientação sexual ainda no final do século XV, começo do século XVI.

A decisão da Ministra Carmen Lucia cassou uma liminar da Justiça Federal de Brasília, que autorizava psicólogos a realizar a “terapia de reversão sexual” em homossexuais, conhecida como “cura gay”. A decisão cassada liminarmente, autorizava psicólogos a atenderem e a estudarem casos associados a orientação sexual egodistônica. 

A discussão está em torno da Resolução do Conselho Federal de Psicologia 1/99, que estabeleceu normas de atuação para psicólogos em relação às questões relacionadas à orientação sexual, proibindo a referida terapia, haja vista que a homossexualidade deixou de ser considerada doença pela Organização Mundial de Saúde em 1990. Assim, com a decisão da Ministra Carmem Lucia, perde validade a decisão proferida pela 14ª. Vara Federal do Distrito Federal, voltando a valer a Resolução do Conselho Federal de Psicologia, em sua íntegra, que é contra o tratamento de reversão sexual.  

Segundo o Presidente do Conselho Federal de Psicologia, “… a psicologia e a ciência não admitem que as usem a serviço da discriminação. Há décadas que a homossexualidade não é considerada nem doença nem desvio pela Organização Mundial da Saúde. Não precisa de orientação nem de cura.” (Rogério Giannini).

Feliz 500 anos de Leonardo da Vinci, que além de presentear o mundo com seus primeiros desenhos na juventude, desenvolvendo temas como a água e a natureza, inúmeras obras (“Mona Lisa” uma das pinturas mais famosas do mundo), notabilizou-se também como cientista e inventor – de bicicletas, máquinas voadoras e armamentos militares, séculos antes da produção desses objetos e não teve receios em assumir sua orientação sexual.

Com certeza Leonardo da Vinci estava mais de 500 anos a nossa frente!